Artrite reumatóide: medo impede que paciente faça exercícios físicos

0
219
Apesar de uma série de estudos mostrando os benefícios da atividade física, muitos pacientes com artrite reumatoide permanecem fisicamente inativos.
Pessoas com artrite reumatóide são mais propensas a ser fisicamente ativas se elas acreditam que a prática as ajudará a gerenciar sua doença, defende uma nova pesquisa, publicada na versão on line do Arthritis Care & Research.
Para o autor do estudo, Rowland Chang, professor da Northwestern University Feinberg School of Medicine, em Chicago, “conhecimento e motivação precisam andar juntos. Ou seja, o paciente artrítico precisa acreditar que pode ser fisicamente ativo e não machucar as articulações. Apesar de uma série de estudos mostrando os benefícios da atividade física, muitos pacientes com artrite reumatóide permanecem fisicamente inativos devido a uma variedade de fatores: idade, dor , limitações funcionais e falta de educação sobre os benefícios do exercício”, diz o pesquisador.
Segundo os pesquisadores, muitos pacientes com artrite não acreditam nos benefícios dos exercícios porque se preocupam com a dor e em não prejudicar as articulações já danificadas. “Este medo talvez esteja relacionado a antigas condutas adotadas em relação à doença que já não se justificam mais. Na década de 50, se você tivesse artrite, não era incomum ser hospitalizado ou ser aconselhado a ficar em repouso absoluto. Apenas nos últimos 30 anos, começamos a pregar outras idéias sobre a doença”, diz o reumatologista reumatologista Sérgio Bontempi Lanzotti, que dirige o Iredo, Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares.
“Hoje, sabemos que a falta de atividade física pode ser pior para os pacientes artríticos, além de aumentar o risco de doença cardiovascular. Nosso desafio é convencer cada vez mais pacientes que o exercício é uma ferramenta fundamental na prevenção e na gestão da artrite reumatóide”, afirma o diretor do Iredo.
Sérgio Lanzotti acredita que um grande número de pessoas com artrite reumatóide e outras formas de reumatismo hesitam em se tornarem mais ativos fisicamente por conta própria. “Mas precisamos reverter este quadro. Em geral, recomendo a caminhada para estes pacientes, porque é algo que as pessoas se sentem confortáveis ??fazendo, até mesmo as pessoas com artrite reumatóide e osteoartrite do joelho”, conta o reumatologista.
Compartilhar

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta