Mudanças de tempo podem provocar dores de cabeça?

0
15

Um dos problemas associados à dor de cabeça é perceber a real causa de dor. Apesar de não serem graves, as dores de cabeça, cujo termo médico é cefaleia, podem afectar a rotina diária.  As causas podem estar associadas a problemas de saúde como a sinusite, ingestão de álcool e alimentos, tensão, stress, ansiedade, visão, falta de sono, alterações hormonais, toxinas, açucares e café, perfumes e ainda pelas mudanças climáticas.

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde (SNS), grande parte das cefaleias passam em menos de 24 horas. No entanto, existem dores de cabeça associadas a outras patologias. As pessoas afetadas pela dor devido às mudanças climáticas são mais sensíveis ou possuem algum tipo de dor crónica como fibromialgia, artrite reumatóide, artrose, sinusite ou enxaqueca.

Tipos de de dores de cabeça

Cefaleia de tensão

A mais comum e afeta nomeadamente as mulheres. Surge como uma dor difusa, de intensidade leve a moderada e pode ser caracterizada como uma sensação de pressão em ambos os lados da cabeça. Estão associadas a situações de stress, cansaço, sono e ansiedade.

Cefaleias em salva

Afeta sobretudo os homens e as suas causas são desconhecidas. São mais frequentes na Primavera e no Outono e podem durar meses ou até anos.

Enxaqueca

Constitui uma resposta a fatores ambientais, como a exposição a um perfume, ambiente e alterações nas rotinas. É uma dor de cabeça latejante moderada ou severa e pode durar entre 4 a 72 horas.

Tratamentos para a dor de cabeça

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a enxaqueca / cefaleia é a sexta doença mais incapacitante no mundo e não existe um tratamento específico para combater este problema.

No entanto é possível aliviar as dores através de analgésicos, meditação, técnicas de relaxamento e controlo da temperatura corporal. Tomar um banho gelado, por exemplo, em dias muitos quente ou banhos quentes quando as temperaturas descem.

Fonte: http://www.maria.pt/saude-e-bem-estar/mudancas-climaticas-dores-de-cabeca/

Compartilhar
Sou Blogueira, motivada pelo diagnóstico da Artrite Reumatoide aos 26 anos, como profissional da enfermagem eu estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros e de repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, social media, graduanda do curso de jornalismo na FiamFaam, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta